Página Inicial / História do Iprem

História do Iprem

A contribuição da produção de café ao surgimento do Iprem

A agricultura do Café em meados do séc. XIX no oeste paulista, abriu espaço para a industrialização na cidade de São Paulo, até então pouco desenvolvida e apagada pelo economia e brilho de outras cidades do país. Como consequência, a partir do fim do séc. XIX e inicio do séc. XX, os resultados positivos da cultura do café e do trabalho de imigrantes e emigrantes trouxeram a fomentação necessária para o município de São Paulo se tornar uma efervescente metrópole em ascensão. Esse desenvolvimento abriu espaço para o desenvolvimento de instituições como o MONTEPIO Municipal de São Paulo. Desta forma, o Montepio surge em torno de mudanças políticas, sociais e econômicas como órgão gestor da previdência para os funcionários públicos da cidade de São Paulo, acompanhando o crescimento da atual metrópole paulista  na região central.

Inicialmente os benefícios de aposentadorias eram disponibilizados com a autorização e regulamentação pela Junta administrativa que se compunha de um corpo de funcionários escolhidos pelo prefeito para fornecer o benefício. Os trabalhos iniciais dependiam da quantidade de funcionários públicos em idade de aposentadoria que eram direcionados ao Montepio para fazer o pedido para a junta. No começo pode ter sido calma a movimentação do órgão relativamente a quantidade de pedidos, mas com o passar do tempo, o número de funcionários públicos foi aumentando e os trabalhos do Montepio também.

Surgimento do MONTEPIO em  1909

Oscar_Pereira_da_Silva_-_Pedro_Augusto_Gomes_Cardim-1-150x150Tudo começou a partir da criação das primeiras legislações previdenciaristas em desenvolvimento nas das sedes administrativas da prefeitura de São Paulo, que abriu espaço para o funcionamento da previdência em benefício dos servidores públicos. Pedro Augusto Gomes Cardim (foto ao lado), então vereador da época, visando  as necessidades dos servidores municipais, apresentou a proposição número 33 de 1905 junto a Câmara Municipal de São Paulo, que retornou em 28 de setembro de 1906 para sofrer análise da Comissão de Justiça e Finanças em que os participantes eram: Francisco Cunha Horta Junior, Piza de Almeida, Sampaio Doria e Correia Dias. Posteriormente obteve a aprovação do prefeito Antonio da Silva Prado e do Tesoureiro Municipal Paulino da Costa Guimarães. Assim, o projeto n° 33 possibilitou o nascimento da previdência no município por meio da Lei 1.236, de 11 de setembro de 1909 que instituiu o Montepio Municipal de São Paulo, “para prover a subsistência e amparar o futuro das famílias dos empregados públicos municipais”.

LEI
Lei 1.236, de 11 de setembro de 1909

Desenvolvimento do Montepio 30/40

O desenvolvimento do Montepio durante as décadas de 30 e 40, cuja conjuntura política, social e econômica trouxeram mudanças no cenário brasileiro, refletiu positivamente para o Montepio que, mesmo em meio a crise da queda da bolsa de valores em 1929, pode manter o ritmo acelerado de desenvolvimento e realizar empréstimos para continuar provendo o necessário durante as mudanças que ocorriam à época.

A sedes do Montepio

Na figura ao lado, temos a primeira sede do Montepio, situada no prédio que abrigou o “Thezouro TesouroProvincial”, a construção é datada do período entre 1868 e 1875 e conforme o regulamento passou por duas reformas em 1868. É importante dizer que o Montepio se instalou na Rua XV de Novembro no prédio conhecido como Tesouro do Estado.

Palacete-Conde-Prates

Em um segundo momento a prefeitura da cidade de São Paulo  passou a ter a necessidade de maior espaço e o Montepio segue a prefeitura até sua segunda sede. Abaixo pode-se visualizar a sede da prefeitura de São Paulo o Edifício ou Palacete Conde Prates que abrigou a Câmara Municipal e o Montepio Municipal por volta de 1931 localizado na Rua Líbero Badaró.

O Montepio também teve sua sede instalada na Rua Quirino de Andrade até 1962. Em seguida foi anunciado que seria transferida a sede da prefeitura temporariamente para o Parque Ibirapuera na Avenida IV Centenário, nº 1.644, onde a administração ficou para aguardar a conclusão da nova sede da prefeitura. Em 16 de julho de 1963, o Montepio muda-se para a Rua Leandro Dupré, bairro Vila Clementino onde ficou até 1977. Os Setores de Compras e de Pagamento de Pensões, porém, instalaram-se em um edifício da Rua da Constituição n° 20, local cedido ao Instituto por Monteiro de Carvalho, secretário das Finanças.

E por fim em 29 de novembro de 1974 é assinada a Lei nº 8.164, através da qual a Prefeitura de São Paulo terrenodoa ao Montepio  terreno para a construção da sede que hoje se encontra na Av. Zaki Narchi, 536. O então prefeito da cidade de São Paulo de 1973 a 1975 Miguel Colasuonno, propôs o Projeto de Lei nº 80/1974, que “aprova primeira etapa do plano de reurbanização da Zona Leste, nos subdistritos de Vila Guilherme e Tucuruvi, a serem entregues pela Empresa Municipal de Urbanização – EMURB, e dá outras providências.”, assim sendo entre muitos projetos que foram apresentados pelo prefeito da época a construção que concluída foi o edifício que abriga o atual IPREM-SP, órgão gestor da previdência Municipal.

IMG_3174

As obras começaram em 1974 e no ano posterior já estavam concluídas. Em abril de 1977, ocorreu a mudança das instalações do Montepio para o novo prédio (foto ao lado), na Avenida Zaki Narchi, nº 536. O edifício ganhou o nome do idealizador do projeto de previdência Municipal, Pedro Augusto Gomes Cardim, através do Decreto 14.686, de 09 de setembro de 1977. O MONTEPIO de São Paulo com a sua nova sede prosseguiu desenvolvendo projetos relacionados a previdência e durante a estruturação da sede própria foi também lhe fornecido uma nova denominação: Instituto de Previdência Municipal de São Paulo ou simplesmente IPREM-SP, Lei n° 9.157 de 1° de Dezembro de 1980.

2016-01-26-105013-1

A imagem apresenta o evento em que a pedra fundamental de inauguração do IPREM SP foi colocada em1984. Com a presença do ex-superintendente Sr° Duílio Domingo Martino.